Microbiologia e Imunologia Geral e Odontológica - V1 - Série Abeno

Visualizações: 161
Classificação: (0)

Microbiologia e Imunologia Geral e Odontológica – Vol. 1 é um dos livros da Parte Básica da Série Abeno. Este Volume 1 traz noções introdutórias de morfologia, fisiologia e genética microbiana. Além disso, uma parte expressiva do livro está voltada para o estudo da microbiota bucal, incluindo temas como aquisição, composição e formação do biofilme dental e microbiologia da cárie, das doenças periodontais e das infecções que podem acometer a cavidade bucal, com ênfase em fungos e vírus.Este livro será, muito em breve, complementado pelo Volume 2, que dará maior ênfase ao conteúdo de imunologia geral e odontológica.

 

11 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

Capítulo 1 - Morfologia microbiana

PDF

1

Morfologia microbiana

DENISE M. PALOMARI SPOLIDORIO

CRISTIANE DUQUE

HELVÉCIO CARDOSO CORRÊA PÓVOA

objetivos de aprendizagem

• Diferenciar a estrutura celular geral dos procariotos e eucariotos

• Diferenciar paredes celulares Gram-positivas e Gram-negativas

• Reconhecer as estruturas e a função da célula bacteriana

• Caracterizar fungos

• Caracterizar vírus

LEMBRETE

Os vírus não se enquadram em nenhum dos grupos determinados para os seres vivos, pois não são células verdadeiras e dependem do hospedeiro para a sobrevivência e proliferação da espécie. A classificação dos vírus está relacionada com sua composição química e morfológica ou com a presença do ácido nucleico.

Os seres vivos são classificados de acordo com a complexidade de sua estrutura celular, determinando dois grandes grupos: os procariotos e os eucariotos. A classificação mais atual, utilizada na maior parte dos trabalhos taxonômicos modernos, divide os seres vivos em três domínios:

 

Capítulo 2 - Fisiologia microbiana

PDF

2

Fisiologia microbiana

CRISTIANE DUQUE

RENATO VARGES

HELVÉCIO CARDOSO CORRÊA PÓVOA

MARIANA FERREIRA DIB JOÃO

DENISE M. PALOMARI SPOLIDORIO objetivos de aprendizagem

• Conhecer os principais nutrientes necessários para o metabolismo microbiano

• Descrever os principais sistemas de transporte de nutrientes pela membrana celular

• Identificar os mecanismos microbianos de geração de energia

• Descrever os princípios de crescimento dos microrganismos

• Descrever os fatores fisiológicos que influenciam o crescimento microbiano

Para manter a continuidade e a sobrevivência da espécie, os microrganismos realizam diversas reações químicas denominadas metabolismo celular, que envolvem a liberação de energia

(catabolismo) ou o consumo de energia (anabolismo).

Existem duas fontes principais de energia: a luz solar e os compostos orgânicos e inorgânicos. Os microrganismos que dependem da luz para obter energia são denominados fototróficos, como as cianobactérias e as bactérias púrpuras ou verdes. Os microrganismos quimiotróficos, que utilizam compostos orgânicos (glicose, acetato, entre outros) como fonte de energia, são os quimiorganotróficos, e os que utilizam compostos inorgânicos (ferro, enxofre, hidrogênio) são os quimiolitotróficos.

 

Capítulo 3 - Genética microbiana

PDF

3

Genética microbiana

CRISTIANE DUQUE

DENISE M. PALOMARI SPOLIDORIO

HELVÉCIO CARDOSO CORRÊA PÓVOA

A genética é denominada ciência da hereditariedade. Ela estuda os mecanismos de transmissão de características de um organismo para outro e a forma como essas características são expressas dentro de um organismo, o que garante a perpetuação e a sobrevivência das espécies.

objetivos de aprendizagem

Todas as informações genéticas de uma célula estão contidas no genoma, que é organizado em cromossomos. Cada cromossomo

é composto por inúmeros genes, que são a unidade funcional da informação genética. Os genes são segmentos de DNA (exceto alguns vírus, que são de RNA) que especificam a sequência de aminoácidos que compõe cada proteína que exercerá determinada função fisiológica no organismo. A informação hereditária microbiana

é semelhante às encontradas nas células vegetais e animais.

• Classificar os tipos de RNA e o processo de transcrição

 

Capítulo 4 - Microbiota bucal

PDF

4

Microbiota bucal

JOSÉ FRANCISCO HÖFLING

DENISE M. PALOMARI SPOLIDORIO

CRISTIANE DUQUE

A cavidade bucal do ser humano inicia a colonização durante o nascimento, e a sucessão de microrganismos continua por toda a vida.

A aderência é o evento inicial, caracterizado pela ligação das células bacterianas por meio de adesinas à película adquirida (PA) do esmalte dentário, composta por glicoproteínas salivares. Durante os primeiros meses de vida, somente as superfícies mucosas (palato, rodete gengival, dorso da língua e mucosa jugal) são suscetíveis a colonização. Após a erupção dos dentes, ocorre um aumento do número de sítios disponíveis para aderência (sulco gengival, superfície dentária e restaurações).

Ao nascimento, S. mutans não estão presentes na cavidade bucal da criança. Podem estabelecer-se no momento em que a erupção do primeiro dente decíduo ofereça condições propícias para o seu desenvolvimento, em virtude do aparecimento de uma superfície dura e não descamante. A mãe é a principal fonte de transmissão desse microrganismo por meio da saliva, embora existam outras formas de aquisição.

 

Capítulo 5 - Biofilme dental

PDF

5

Biofilme dental

RODRIGO ALEX ARTHUR

THAIS DE CÁSSIA NEGRINI objetivos de aprendizagem

• Descrever a formação e os estágios do biofilme dental

• Conhecer a composição microbiana do biofilme dental

Naturalmente, após a higienização dental, grupos de bactérias se aderem à superfície dental, formando uma comunidade microbiana embebida em uma matriz de polímeros extracelulares derivada do metabolismo das células e do meio ambiente (saliva). Essa comunidade microbiana que cresce aderida às superfícies dentais recebe o nome de biofilme dental (ou placa dental bacteriana).

A microbiologia se preocupa em estudar os mecanismos fisiológicos e de controle entre as formas microbianas planctônicas (livre) e sésseis

(biofilme), por sua grande importância nas atividades humanas.

Biofilme

Comunidades microbianas sésseis que se desenvolvem espontaneamente em qualquer superfície sólida em condições fisiológicas adequadas.

Os biofilmes mais comuns na natureza são heterogêneos e multiespécies (compostos por duas ou mais espécies). Os produtos do metabolismo de uma espécie podem auxiliar o crescimento das outras, e a adesão de uma dada espécie pode fornecer ligações para outras espécies. Inversamente, a competição pelos nutrientes e o acúmulo de metabólitos tóxicos produzidos pelas espécies colonizadoras podem limitar a diversidade de espécies em um biofilme.

 

Capítulo 6 - Microbiologia da cárie dentária

PDF

6

Microbiologia da cárie dentária

Erika Nikitza Shiauha Harth-Chú

FLÁVIA SAMMARTINO MARIANO

MARIA PAULA MACIEL RANDO MEIRELLES

NATÁLIA LEAL VIZOTO

RAFAEL NÓBREGA STIPP

RENATA DE OLIVEIRA MATTOS-GRANER

Para o completo entendimento da doença cárie, é preciso compreender as formas e vias de aquisição de microrganismos cariogênicos, assim como seus mecanismos de virulência, os quais incluem fatores de escape e/ou adaptação ao sistema imunológico inato e adaptativo. Todos esses aspectos serão abordados neste capítulo para fornecer uma visão mais completa dessa doença.

Estima-se que a microbiota represente 90% das células do superorganismo humano, sendo os 10% restantes compostos por células humanas. A microbiota varia em composição, quantidade e diversidade, dependendo das características biofísicas de cada sítio do organismo.

A microbiota bucal representa um dos dois sítios humanos com maior quantidade e diversidade microbiana; o outro é a microbiota intestinal.

 

Capítulo 7 - Microbiologia da doença periodontal

PDF

7

Microbiologia da doença periodontal

MARCIA PINTO ALVES MAYER

ELLEN SAYURI ANDO SUGUIMOTO

SILVIA REGINA LOUREIRO TEIXEIRA

O periodonto é um complexo tecidual composto por gengiva, ligamento periodontal, cemento e tecido ósseo, o qual tem a função de proteger e manter o dente. As doenças periodontais afetam os tecidos de suporte do dente e podem ser classificadas em dois grandes grupos: gengivites e periodontites.

As gengivites são doenças inflamatórias em resposta ao biofilme dental que podem ser modificadas por fatores sistêmicos e medicamentos ou podem não ser associadas ao biofilme dental, mas decorrer de infecções específicas por bactérias, vírus ou fungos, predisposição genética, doenças sistêmicas, trauma e reação a corpos estranhos.

objetivos de aprendizagem

• Classificar as doenças periodontais

• Conhecer os microrganismos associados às doenças periodontais

• Explicar os fatores de virulência das bactérias periodontopatogênicas

 

Capítulo 8 - Aspectos microbiológicos das infecções endodônticas

PDF

8

Aspectos microbiológicos das infecções endodônticas

BRENDA P.F.A. GOMES

FRANCISCO MONTAGNER

FREDERICO CANATO MARTINHO

objetivos de aprendizagem

• Conhecer os colonizadores associados às infecções endodônticas

• Identificar a infecção intrarradicular primária

• Identificar a infecção intrarradicular secundária ou persistente

• Identificar a infecção extrarradicular

A polpa dental é um tecido conjuntivo ricamente vascularizado e altamente inervado, envolto em paredes rígidas. Mantém comunicação com o periodonto e com o restante do corpo por meio de forame, deltas apicais e canais acessórios.1

O tecido pulpar sadio não contém microrganismos. No caso da infecção, os microrganismos presentes na cavidade bucal podem chegar à polpa por diferentes vias de acesso, sendo a lesão cariosa a mais comum. Os microrganismos multiplicam-se nos túbulos dentinários, no sistema dos canais radiculares e nos tecidos apicais, caso esses ambientes proporcionem condições ideais de crescimento.1

 

Capítulo 9 - Microbiologia de outras infecções da cavidade bucal

PDF

9

Microbiologia de outras infecções da cavidade bucal

ANTONIO OLAVO CARDOSO JORGE

JULIANA CAMPOS JUNQUEIRA

SIMONE FURGERI GODINHO VILELA

ANNA CAROLINA BORGES PEREIRA DA COSTA

objetivos de aprendizagem

• Descrever as infecções bacterianas com manifestação bucal

• Descrever as infecções virais com manifestação bucal

• Descrever as infecções fúngicas com manifestação bucal

Nos capítulos anteriores, foram estudadas as duas doenças mais comuns da cavidade bucal: cárie e doença periodontal. Além delas, a cavidade bucal pode ser acometida por outras doenças causadas por fungos, bactérias e vírus.

A infecção fúngica mais importante da cavidade bucal é a candidíase, uma doença oportunista causada por leveduras do gênero Candida que em determinadas situações podem desenvolver lesões recidivantes e de difícil tratamento.

Dentre as infecções bacterianas com manifestação bucal, pode-se destacar a actinomicose, de grande importância para o diagnóstico diferencial de outras lesões na cavidade bucal, além de gonorreia, sífilis e tuberculose, cuja incidência tem aumentado nos últimos anos principalmente como coinfecção em pacientes imunocomprometidos.

 

Capítulo 10 - Controle da infecção na cavidade bucal

PDF

10

Controle da infecção na cavidade bucal

TELMA BLANCA L. BEDRAN

MARIANNE NICOLE MARQUES NOGUEIRA cristiane duque

DENISE M. PALOMARI SPOLIDORIO

objetivos de aprendizagem

• Descrever os conceitos de esterilização e desinfecção

• Explicar os métodos de esterilização e desinfecção utilizados em odontologia

• Conhecer os tipos de antimicrobianos e seu uso sistêmico

LEMBRETE

Além de afetar o bem-estar físico e mental, o biofilme afeta a saúde sistêmica por meio da transmissão da infecção aos tecidos adjacentes. Isso pode levar a osteomielite, sinusite, noma, infecção profunda de pescoço, angina de Ludwig, celulite, úlcera na pele, septicemia, endorcardite e até mesmo a morte. Pode agir ainda como fator de risco para doenças cardiovasculares e diabetes.

A infecção é caracterizada pela invasão e pela colonização de microrganismos no hospedeiro. No decorrer da vida, centenas de espécies microbianas podem colonizar o indivíduo sem causar nenhuma doença; algumas espécies inclusive servem de defesa local na resistência inespecífica do hospedeiro diante de patógenos externos. Entretanto, quando os microrganismos se tornam patogênicos (maior número e virulência) e as condições do hospedeiro são alteradas, há um desencadeamento da resposta imune com a capacidade de produzir a doença. As medidas preventivas e terapêuticas de inúmeras doenças têm como base o combate desse processo infeccioso.

 

Capítulo 11 - Ação antimicrobiana dos materiais restauradores

PDF

11

Ação antimicrobiana dos materiais restauradores

WEBER autores

ADAD RICCI

HÉRICA ADAD RICCI

CARLOS ALBERTO DE SOUZA COSTA

JOSIMERI HEBLING

objetivos de aprendizagem

• Conhecer a tríade de sucesso do procedimento restaurador

• Classificar os diferentes tipos de materiais odontológicos

• Conhecer a ação antimicrobiana de diferentes materiais restauradores

Agente antimicrobiano

Denomina-se agente antimicrobiano qualquer substância que impeça o crescimento, o desenvolvimento ou a agregação de microrganismos em um determinado substrato.

LEMBRETE

A associação de materiais adesivos e potencialmente antimicrobianos constitui uma alternativa promissora na tríade saúde, função e estética para o sucesso restaurador (Fig. 11.1).

A Organização Mundial da Saúde classifica a cárie como uma doença a ser combatida em saúde pública. Estudos epidemiológicos apresentam uma incidência de cárie e doenças periodontais em aproximadamente

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
eBook
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Habilitada
SKU
BPPD000264264
ISBN
9788536701905
Tamanho do arquivo
6,8 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Habilitada
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados