Comunicação escrita nas empresas : teorias e práticas

Visualizações: 324
Clasificação: (0)

O mandado de segurança é um instituto criado pelo Direito Brasileiro, sem correspondência perfeita no Direito Comparado, que vem sendo desenvolvido ao longo das últimas décadas. Inserido entre as garantias fundamentais do ordenamento constitucional brasileiro, é de larga utilização na prática forense e se encontra definitivamente integrado na cultura de nosso povo.
Neste livro, o autor busca examinar o mandado de segurança com base na premissa fundamental: a de que ele é um fenômeno de Direito Processual Público, a área do Direito Processual que lida com causas em que as questões de mérito são de Direito (material) Público. A partir dessa proposição, o mandado de segurança é tratado como um instituto processual, compreensível a partir da Teoria Geral do Direito Processual, e que não pode ser dissociado dos demais institutos jurídicos que integram o ordenamento brasileiro.
Além disso, o autor promove uma pesquisa doutrinária e jurisprudencial, mergulhando profundamente nas origens dos mais diversos entendimentos que ao longo do tempo se consolidaram sobre o mandado de segurança. Com isso, muitos desses entendimentos, vários deles registrados em enunciados de súmulas de jurisprudência dominante, são confirmados, enquanto outros são verdadeiramente desconstruídos.
A obra, vale registrar, não se propõe simplesmente comentar os artigos da lei que rege o mandado de segurança, mas apresentar uma exposição sistemática desse tema tão relevante para o Direito Brasileiro.
Obra de relevante interesse para profissionais e estudiosos do Direito. Leitura complementar para as disciplinas Direito Processual Civil e Direito Administrativo dos cursos de graduação e de pós-graduação em Direito.

 

15 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

INTRODUÇÃO

PDF

INTRODUÇÃO

A Redação Técnica é a expressão mais objetiva da aplicação do Português e de seus conteúdos, no mercado de trabalho. Nota-se que muitos estudantes e profissionais necessitam de orientação, a fim de exercerem as suas funções com êxito comunicativo, fato hoje que se tornou um diferencial em qualquer

área de atuação.

Este livro é construído a partir de aspectos básicos da Comunicação como estratégia empresarial, com a demonstração de como acontece e que elementos devem ser observados e cuidados por aqueles que fazem a gestão ou colaboram nas empresas.

A partir daí, apresentam-se os conceitos do estudo da redação, como instrumento comunicativo interno e externo às organizações, pois os textos que as empresas veiculam também produzem a sua imagem no mercado.

Em seguida, tratam-se os fatos gramaticais aplicáveis à produção de textos na comunicação escrita. Também há um alerta para os Chavões e Incorreções Semânticas do texto e suas formas de utilização. Ao mesmo tempo, os modelos de

 

1 A COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA EM NÍVEL EMPRESARIAL

PDF

4 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

De acordo com a definição etimológica, a palavra Comunicação vem do latim comumnicatio, onis, que significa a ação de tornar algo comum a muitos.

A Comunicação como expressão do pensamento, por meio de uma linguagem verbal ou não verbal, é um Ato Humano e Social. Ela existe, até mesmo, quando há o silêncio, no posicionamento dos objetos, na fisionomia das pessoas, nos gestos, entre outras ações.

Portanto, a comunicação não se expressa apenas pela palavra, mas por um conjunto de ações que envolvem palavras, atitudes, comportamentos, relacionamentos, no trato entre pessoas.

1.1  As duas redes de comunicação nas organizações

Existem nas organizações duas redes comunicativas que se distinguem, mas que se integram nos objetivos de comunicar e informar: a Formal e a Informal.

Na Comunicação Formal, circulam as mensagens oficiais e legitimadas pela estrutura organizacional, utilizando os canais formais de interação. Na Comunicação Informal, mais conhecida como rádio-peão ou rádio-corredor, transitam todas as informações, mensagens, consideradas inadequadas para circulação, mas, em algumas vezes, aproveitáveis e úteis à gestão.

 

1 A COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA EM NÍVEL EMPRESARIAL

PDF

1

A COMUNICAÇÃO

ESTRATÉGICA EM

NÍVEL EMPRESARIAL

Fonte: Disponível em: .

4 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

De acordo com a definição etimológica, a palavra Comunicação vem do latim comumnicatio, onis, que significa a ação de tornar algo comum a muitos.

A Comunicação como expressão do pensamento, por meio de uma linguagem verbal ou não verbal, é um Ato Humano e Social. Ela existe, até mesmo, quando há o silêncio, no posicionamento dos objetos, na fisionomia das pessoas, nos gestos, entre outras ações.

Portanto, a comunicação não se expressa apenas pela palavra, mas por um conjunto de ações que envolvem palavras, atitudes, comportamentos, relacionamentos, no trato entre pessoas.

1.1  As duas redes de comunicação nas organizações

Existem nas organizações duas redes comunicativas que se distinguem, mas que se integram nos objetivos de comunicar e informar: a Formal e a Informal.

 

2 COMUNICAÇÃO ESCRITA NAS EMPRESAS - Redação Básica

PDF

22 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

Antes de se considerar o conceito, é importante ressaltar que a Redação, seja de qual modalidade ou tipologia for, é um veículo de comunicação que estabelece entre Remetente ou Emissor e Destinatário ou Receptor uma Mensagem. Assim, quem escreve ou fala deve adequar sua escrita ou oralidade ao contexto, em que as pessoas envolvidas no ato se inserem, a fim de que possam interagir com eficiência comunicativa. Nesta lógica, tão importante como dominar as técnicas da escrita, é saber adequar o texto às situações da realidade social.

A comunicação escrita nas empresas não foge à regra. Necessita-se entender que o ambiente empresarial exigirá seriedade e formalidade e, acima de tudo, dominar o nível culto da língua, principalmente, na produção textual escrita.

A Redação de que se vai tratar neste capítulo é chamada de Básica ou Criativa, e deter seu conhecimento é indispensável à produção de comunicações em geral, inclusive, as empresariais.

Qualquer Redação necessita ser estruturada num padrão lógico. Comumente a organização de ideias se estabelece numa leitura dedutiva: parte-se de uma ideia principal, onde se declara ou se afirma algo, para depois desenvolvê-la e prová-la, chegando a uma conclusão. É um pré-julgamento que antecede a comprovação da proposição, facilmente constatado na sua estrutura.

 

2 COMUNICAÇÃO ESCRITA NAS EMPRESAS - Redação Básica

PDF

2

Comunicação

Escrita nas Empresas

Redação Básica

Fonte: Disponível em: .

22 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

Antes de se considerar o conceito, é importante ressaltar que a Redação, seja de qual modalidade ou tipologia for, é um veículo de comunicação que estabelece entre Remetente ou Emissor e Destinatário ou Receptor uma Mensagem. Assim, quem escreve ou fala deve adequar sua escrita ou oralidade ao contexto, em que as pessoas envolvidas no ato se inserem, a fim de que possam interagir com eficiência comunicativa. Nesta lógica, tão importante como dominar as técnicas da escrita, é saber adequar o texto às situações da realidade social.

A comunicação escrita nas empresas não foge à regra. Necessita-se entender que o ambiente empresarial exigirá seriedade e formalidade e, acima de tudo, dominar o nível culto da língua, principalmente, na produção textual escrita.

 

3 ARGUMENTAÇÃO: O ATO DE CONVENCER E PERSUADIR

PDF

62 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

Desde que o homem começou a conviver, usou a palavra como meio de dar a conhecer aos outros as suas visões de mundo e a forma de convencer pessoas.

Conhecem-se autores antigos que criaram escolas de argumentação: Sócrates, filósofo grego (470-400 a.C.), Aristóteles, filósofo grego (384-322 a.C.), Cícero, o mais eloquente dos oradores romanos (106-43 a.C.), entre outros. Aristóteles definiu a argumentação como a “arte de falar de modo a convencer”.

Modalidade argumentativa – características a) O ponto de vista do autor, fundamentado em argumentos, com o objetivo de persuadir, de convencer o leitor ou o ouvinte sobre aquilo que se afirma como verdade, tentando mudar-lhe a opinião, através de provas; b) Toda a arte tem as suas normas e a argumentação não foge à regra. As suas etapas são: encontrar o problema, procurar os argumentos e os contra-argumentos, dispô-los adequadamente, usar as figuras de estilo que mais agradam, a fim de formular juízos de valor; c) Possui estrutura textual básica: Introdução (apresentação da proposição), Desenvolvimento (argumentos e contra-argumentos) e Conclusão (confirmação da proposição); d) O texto argumentativo deve começar por uma introdução, que ocupa normalmente um parágrafo; segue-se o desenvolvimento, em parágrafos que contêm os argumentos e os contra-argumentos, seguidos de exemplos; finalmente, uma conclusão, de parágrafo único, que retoma a afirmação inicial provada ou contrariada. Os vários parágrafos devem estar encadeados uns nos outros pelos articuladores do discurso ou conectores lógicos (conjunções); e) A contra-argumentação utiliza conectores adversativos ou concessivos, dada a sua característica de contrariedade à ideia da argumentação inicial.

 

3 ARGUMENTAÇÃO: O ATO DE CONVENCER E PERSUADIR

PDF

3

ARGUMENTAÇÃO:

O ATO DE CONVENCER

E PERSUADIR

Fonte: Disponível em: .

62 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

Desde que o homem começou a conviver, usou a palavra como meio de dar a conhecer aos outros as suas visões de mundo e a forma de convencer pessoas.

Conhecem-se autores antigos que criaram escolas de argumentação: Sócrates, filósofo grego (470-400 a.C.), Aristóteles, filósofo grego (384-322 a.C.), Cícero, o mais eloquente dos oradores romanos (106-43 a.C.), entre outros. Aristóteles definiu a argumentação como a “arte de falar de modo a convencer”.

Modalidade argumentativa – características a) O ponto de vista do autor, fundamentado em argumentos, com o objetivo de persuadir, de convencer o leitor ou o ouvinte sobre aquilo que se afirma como verdade, tentando mudar-lhe a opinião, através de provas; b) Toda a arte tem as suas normas e a argumentação não foge à regra. As suas etapas são: encontrar o problema, procurar os argumentos e os contra-argumentos, dispô-los adequadamente, usar as figuras de estilo que mais agradam, a fim de formular juízos de valor; c) Possui estrutura textual básica: Introdução (apresentação da proposição), Desenvolvimento (argumentos e contra-argumentos) e Conclusão (confirmação da proposição); d) O texto argumentativo deve começar por uma introdução, que ocupa normalmente um parágrafo; segue-se o desenvolvimento, em parágrafos que contêm os argumentos e os contra-argumentos, seguidos de exemplos; finalmente, uma conclusão, de parágrafo único, que retoma a afirmação inicial provada ou contrariada. Os vários parágrafos devem estar encadeados uns nos outros pelos articuladores do discurso ou conectores lógicos (conjunções); e) A contra-argumentação utiliza conectores adversativos ou concessivos, dada a sua característica de contrariedade à ideia da argumentação inicial.

 

4 FATOS GRAMATICAIS APLICADOS À COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

PDF

74 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

Existem alguns fatos gramaticais que interessam, sobremaneira, aos estudos da Comunicação Empresarial Escrita, principalmente, na produção de Redações

Técnicas. Com isso, alguns aspectos aplicados das Normas da Língua Portuguesa serão significativos. Desta forma, passa-se a tratar alguns tópicos da Gramática, indispensáveis à boa comunicação em nível escrito.

4.1 Abreviaturas e Abreviações

Abreviatura é a forma reduzida ou abreviada de uma palavra, expressão ou frase, usada em geral na escrita, onde frequentemente se utiliza com um ponto final, para se indicar que se trata de uma forma incompleta. Sr. é a abreviatura de senhor; pág., de página; V. Ex a, de Vossa Excelência; A/C e

Ref. são abreviaturas de Aos Cuidados de e Referência (usados em comunicações empresariais).

Desde o advento do texto escrito, a prática das abreviações (em sentido amplo) se vem incrementando. No passado, elas podiam ser consideradas mais ou menos estáveis e comuns (abreviaturas) ou mais ou menos episódicas (abreviações). Assim pode-se afirmar que Abreviaturas e Abreviações são conceitos diferentes, a saber:

 

4 FATOS GRAMATICAIS APLICADOS À COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

PDF

4

FATOS GRAMATICAIS

APLICADOS À COMUNICAÇÃO

EMPRESARIAL

Fonte: Disponível em: .

74 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

Existem alguns fatos gramaticais que interessam, sobremaneira, aos estudos da Comunicação Empresarial Escrita, principalmente, na produção de Redações

Técnicas. Com isso, alguns aspectos aplicados das Normas da Língua Portuguesa serão significativos. Desta forma, passa-se a tratar alguns tópicos da Gramática, indispensáveis à boa comunicação em nível escrito.

4.1 Abreviaturas e Abreviações

Abreviatura é a forma reduzida ou abreviada de uma palavra, expressão ou frase, usada em geral na escrita, onde frequentemente se utiliza com um ponto final, para se indicar que se trata de uma forma incompleta. Sr. é a abreviatura de senhor; pág., de página; V. Ex a, de Vossa Excelência; A/C e

Ref. são abreviaturas de Aos Cuidados de e Referência (usados em comunicações empresariais).

 

5 INCORREÇÕES SEMÂNTICAS NA COMUNICAÇÃO ESCRITA

PDF

120 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

Algumas incorreções semânticas ocorrem na comunicação escrita; porém, algumas merecem atenção e cuidado, dependendo da finalidade a que o texto se propõe. Assim, serão abordados os seguintes aspectos para correção: adjetivos desnecessários; advérbios desnecessários; Tautologia (dizer o mesmo duas vezes, com palavras diferentes); o Pleonasmo; o Circunlóquio, entre outros.

Termos Desnecessários (eliminar)

Os dados estão na tabela a seguir...

3. Como já foi mostrado anteriormente...

Peso médio ao redor de 5 kg.

Fruto de formato oval.

Polpa de cor alaranjada.

Repetição de palavras (evitar)

O experimento 1 foi executado assim: o terreno foi preparado mecanicamente, o plantio foi realizado manualmente e a adubação foi de acordo com Soares

(1985) – 25 palavras.

O experimento 1 foi executado assim: terreno preparado mecanicamente, plantio manual e adubação de acordo com Soares (1985) – 18 palavras.

5.1  Tautologia – Pleonasmo

A Tautologia constitui o estudo de repetições e redundâncias que afetam logicamente o texto. Contudo, a repetição ou redundância nem sempre é um defeito de estilo.

 

6 REDAÇÃO TÉCNICA NA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

PDF

124 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

Os princípios básicos, em que se assentam as redações técnicas, administrativas e comerciais, são os mesmos de qualquer tipo de redação (clareza, correção, coerência, ênfase, objetividade, ordenação lógica etc.), embora sua estrutura e seu estilo apresentem algumas características próprias.

Na definição de Medeiros (2001), Redação Técnica “é qualquer espécie de linguagem escrita que trate de fatos ou assuntos técnicos ou científicos”, cujo estilo

“não deve ser diferente de outros tipos de composição”. Ressalte-se, entretanto, a relevância da clareza, da lógica e da precisão, qualidades que não excluem outras qualidades. A Redação Técnica é necessariamente objetiva quanto ao ponto de vista, mas uma objetividade completamente sem criatividade leva a leitura a ser um trabalho penoso e cansativo pelo autor apresentar os fatos em linguagem sem a marca da sua personalidade. Opiniões pessoais, experiência pessoal, crenças, filosofia de vida e deduções são necessariamente subjetivas, mas constituem parte integrante de qualquer redação técnica de mérito.

 

5 INCORREÇÕES SEMÂNTICAS NA COMUNICAÇÃO ESCRITA

PDF

5

INCORREÇÕES SEMÂNTICAS

NA COMUNICAÇÃO ESCRITA

Fonte: Disponível em: .

120 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

Algumas incorreções semânticas ocorrem na comunicação escrita; porém, algumas merecem atenção e cuidado, dependendo da finalidade a que o texto se propõe. Assim, serão abordados os seguintes aspectos para correção: adjetivos desnecessários; advérbios desnecessários; Tautologia (dizer o mesmo duas vezes, com palavras diferentes); o Pleonasmo; o Circunlóquio, entre outros.

Termos Desnecessários (eliminar)

Os dados estão na tabela a seguir...

3. Como já foi mostrado anteriormente...

Peso médio ao redor de 5 kg.

Fruto de formato oval.

Polpa de cor alaranjada.

Repetição de palavras (evitar)

O experimento 1 foi executado assim: o terreno foi preparado mecanicamente, o plantio foi realizado manualmente e a adubação foi de acordo com Soares

 

7 DICIONÁRIO DE TERMOS CORPORATIVOS

PDF

184 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

Existem termos comuns a qualquer profissional em cada profissão. Na área de gestão, não é diferente. Alguns termos são estrangeirismos e Siglas usuais no mundo dos negócios e outras palavras e expressões vindas das diversas teorias da administração. É este conjunto de termos que popularmente se chama de “Corporativês”.

Quem deseja estar em dia com a linguagem das corporações precisa conhecer os Termos Corporativos. Assim, segue o glossário abaixo:

Absentrísmo: falta constante ao trabalho por parte do empregado, ou sua ausência devido a problemas de saúde.

Assessment management: avaliação do potencial de profissionais.

Assignments: tarefas ou compromissos a serem cumpridos.

Avaliação 180 graus: avaliação de desempenho feita por chefes e clientes.

Avaliação 360 graus: avaliação de desempenho feita por chefes, clientes e subordinados.

B2B: sigla fonética de “business to business”. É o comércio eletrônico entre empresas. Trata-se de um mercado sem a participação do consumidor.

 

6 REDAÇÃO TÉCNICA NA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

PDF

6

REDAÇÃO TÉCNICA

NA COMUNICAÇÃO

EMPRESARIAL

Fonte: Disponível em: .

124 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

Os princípios básicos, em que se assentam as redações técnicas, administrativas e comerciais, são os mesmos de qualquer tipo de redação (clareza, correção, coerência, ênfase, objetividade, ordenação lógica etc.), embora sua estrutura e seu estilo apresentem algumas características próprias.

Na definição de Medeiros (2001), Redação Técnica “é qualquer espécie de linguagem escrita que trate de fatos ou assuntos técnicos ou científicos”, cujo estilo

“não deve ser diferente de outros tipos de composição”. Ressalte-se, entretanto, a relevância da clareza, da lógica e da precisão, qualidades que não excluem outras qualidades. A Redação Técnica é necessariamente objetiva quanto ao ponto de vista, mas uma objetividade completamente sem criatividade leva a leitura a ser um trabalho penoso e cansativo pelo autor apresentar os fatos em linguagem sem a marca da sua personalidade. Opiniões pessoais, experiência pessoal, crenças, filosofia de vida e deduções são necessariamente subjetivas, mas constituem parte integrante de qualquer redação técnica de mérito.

 

7 DICIONÁRIO DE TERMOS CORPORATIVOS

PDF

7

DICIONÁRIO DE

TERMOS CORPORATIVOS

Fonte: Disponível em: .

184 

Comunicação Escrita nas Empresas  • França

Existem termos comuns a qualquer profissional em cada profissão. Na área de gestão, não é diferente. Alguns termos são estrangeirismos e Siglas usuais no mundo dos negócios e outras palavras e expressões vindas das diversas teorias da administração. É este conjunto de termos que popularmente se chama de “Corporativês”.

Quem deseja estar em dia com a linguagem das corporações precisa conhecer os Termos Corporativos. Assim, segue o glossário abaixo:

Absentrísmo: falta constante ao trabalho por parte do empregado, ou sua ausência devido a problemas de saúde.

Assessment management: avaliação do potencial de profissionais.

Assignments: tarefas ou compromissos a serem cumpridos.

Avaliação 180 graus: avaliação de desempenho feita por chefes e clientes.

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
eBook
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Habilitada
SKU
BPPD000206351
ISBN
9788522477586
Tamanho do arquivo
2,6 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Habilitada
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados