330 capítulos
Medium 9788536327303

5. Entendendo a capacidade muscular - Força e resistência

Sharkey, Brian Grupo A PDF

Silvio

...precisava ganh ar f orça

Ele necessitava manter-se forte ao longo do dia e também sabia que precisava ganhar mais força para não sofrer uma lesão fazendo algo para o qual não estava preparado. Contudo, devido a sua situação financeira, não podia pagar uma academia; então o que ele fez?

Silvio buscou algumas dicas rápidas na internet, aconselhou-se com um amigo bem informado e depois leu um livro consagrado sobre treinamento de força. Então, planejou um programa que focava primeiro o incremento de força por meio de treinamento de força três vezes por semana. Começou com pesos leves e foi aumentando a carga de forma gradual, executando 8 a 10 repetições de cada exercício com pesos razoavelmente grandes. Após algumas semanas, passou a trabalhar a resistência muscular usando pesos um pouco mais leves, porém executando mais repetições. Silvio notou rapidamente uma diferença em seu desempenho no trabalho. Observando agora sua energia durar todo o dia – e a capacidade de realizar um trabalho pesado sem medo de lesões –, ele logo se sentiu confortável em sua nova atividade profissional.

Ver todos os capítulos
Medium 9788573078688

As Coxas

Arnold Schwarzenegger Grupo A PDF

478

ARNOLD SCHWARZENEGGER

As Coxas

OS MÚSCULOS DA PARTE SUPERIOR DA COXA

O quadríceps é o músculo da frente da coxa que age como extensor do joelho.

Os quatro músculos envolvidos são o reto femural, o vasto intermédio (esses dois músculos formam a delineação central em forma de V da parte médiofrontal da coxa), o vasto medial (coxa interna) e o vasto lateral (coxa externa).

FUNÇÃO BÁSICA: Estender o joelho (perna).

O bíceps femural e músculos associados – os flexores do joelho (perna) na parte posterior da perna.

FUNÇÃO BÁSICA: Flexionar o joelho (perna) para trás.

Outros músculos importantes da coxa incluem o tensor da fáscia lata, que vem desde o quadril para baixo, na parte lateral da coxa; e o sartório, o mais longo músculo do corpo, que cruza diagonalmente sobre a parte anterior da coxa.

A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO PARA AS

COXAS

Os músculos da coxa são os maiores e mais potentes de todo o corpo. Existem poucos movimentos no esporte que não envolvem um esforço intenso de per-

Ver todos os capítulos
Medium 9788536317687

3 Métodos de ensino e destrezas de comunicação no ensino do tênis

Balbinotti, Carlos Grupo A PDF

46

Carlos Balbinotti e cols.

3

MÉTODOS DE ENSINO E DESTREZAS DE

COMUNICAÇÃO NO ENSINO DO TÊNIS

Juan Pedro Fuentes García

O presente capítulo está estruturado em duas grandes seções. A primeira, destinada a apresentar o variado cenário metodológico com que conta o treinador de tênis na hora de projetar as atividades de treinamento, detalha as diferentes opções metodológicas por meio das quais o treinador pode aprimorar-se em função de seus objetivos de ensino. Além disso, oferece um percurso pelos diferentes estilos de ensino que o treinador pode adotar, iniciando por aqueles em que o treinador toma todas as decisões, para chegar, finalmente, àqueles em que o jogador é o protagonista do processo de ensino-treinamento.

A segunda seção, dedicada às destrezas de comunicação, mostra as competências docentes do treinador de tênis quanto à informação inicial e ao feedback.

Expõem-se sistematicamente a forma como deve ser realizada a apresentação de atividades aos jogadores e as diferentes opções que o treinador de tênis tem à sua disposição para corrigi-los durante a realização dessas atividades.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536309064

8. Meio-jogo: jogo posicional

Sadler, Matthew Grupo A PDF

94

Matthew Sadler

8

8

7

7

6

6

5

5

4

4

3

3

2

2

1

1 a

b

c

d

e

f

g

h

a

b

c

d

e

f

g

h

Diagrama 1

Diagrama 2

As pretas têm debilidades de peões?

“Arrumando” os peões pretos

dama, em c6 e a7. As brancas também mantêm o par de bispos. Está claro o suficiente que a posição é melhor para as brancas? Não é tão simples assim!

As brancas também têm suas debilidades, que estão todas relacionadas às casas. Observe rapidamente as debilidades dos peões das pretas: o peão dobrado em g6 e o peão isolado em c6. Ainda que sejam debilidades estáticas, desempenham uma função dinâmica vital. O peão central das brancas em e4 abre postos avançados para as peças brancas em f5 e d5, em especial para o cavalo. Agora, se você imaginar uma estrutura “reparada” para as pretas, com o peão-g6 em h7 e o peão-c6 em b7 (ver o Diagrama 2), e o lance fosse das brancas, então elas jogariam o irritante 17 Cd5, dando um garfo no bispo e na dama das pretas. O cavalo não pode ser capturado porque o cavalo-f6 preto foi cravado pelo bispog5 branco na dama-e7. Entretanto, com a estrutura danificada das pretas, o cavalo branco tem poucas perspectivas preciosas: o peão-g6 controla a casa-f5 e, ainda mais crucial, o peão-c6 controla a casa-d5. O mesmo pensamento foi visto no Capítulo 6, com a idéia de Salov de dobrar os peões na coluna-e para reduzir as opções das peças adversárias.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536317960

Capítulo 2: Atividade física e saúde em crianças e asdolescentes

Dante de Rose Jr. Grupo A PDF

Esporte e atividade física na infância e na adolescência

ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE

EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

23

2

Alex Antonio Florindo

Evelyn Helena Corgosinho Ribeiro

As atividades físicas fazem parte do desenvolvimento humano, e muitos benefícios começam com a sua prática na fase da infância e da adolescência. Na atualidade, observamos uma mudança no estado nutricional, com aumento, desde a adolescência, de casos de excesso de peso e obesidade e, evidentemente, aumento de agravos e doenças crônicas não transmissíveis, em grande parte causados por mudanças no estilo de vida, com níveis insuficientes de atividades físicas e alimentação inadequada. Por isso, torna-se imprescindível estudar os níveis de atividades físicas e seus fatores associados em crianças e adolescentes, bem como as estratégias de intervenção para maximizar as atividades físicas nessa população. Este capítulo fará uma breve revisão de agravos e doenças crônicas não transmissíveis em crianças e adolescentes no Brasil, discutirá as novas recomendações de atividades físicas para essa faixa etária, as prevalências e os fatores associados às atividades físicas, bem como os benefícios imediatos e na idade adulta, finalizando com as estratégias de intervenção para se maximizar os níveis de atividades físicas em crianças e adolescentes.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos