7393 capítulos
Medium 9788597010718

Parte III - Capítulo 7 - Criação da organização moderna

MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru Grupo Gen PDF

7

Criação da organização moderna

objeTivos

Ao completar o estudo deste capítulo, você deverá ser capaz de compreender e explicar:

· Como surgiram e evoluíram as estruturas organizacionais das grandes empresas.

· Quem foram os protagonistas da criação das estruturas das grandes organizações.

inTrodução

Em meados da década de 1910, dois grandes problemas da administração das organizações tinham sido resolvidos, em termos de teoria e prática:

1

AMARU.indb 113

Estavam disponíveis conceitos e métodos para tornar mais eficientes os processos produtivos. Tinha sido essa a contribuição do movimento da administração científica e da linha de montagem móvel. A disseminação e a adoção

5/5/17 8:31 AM

114

parte III

da escola clássica ao modelo japonês

2

desses conceitos e métodos seriam aceleradas à medida que suas vantagens ficavam evidentes. Hoje, o modelo de Ford é dominante nos sistemas de produção em massa; a administração científica, com outros nomes, continua a ser usada como ferramenta para o aumento da eficiência.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547210250

9.3 Operações financeiras

GRECO, Alvisio; AREND, Lauro Saraiva - UNI PDF

9.3 Operações financeiras

9.3.1 Depósitos bancários à vista

Depósito é o dinheiro que a empresa entrega no banco para que seja guardado com segurança e/ou para obter rendimentos. Depósitos à vista são aqueles mantidos no banco para livre movimentação. As contas que os identificam na contabilidade da empresa podem apresentar:

9.3.1.1

Contas bancárias negativas

As contas bancárias com saldo credor (negativo), ou seja, saldo a favor do banco, não devem ser demonstradas como redutoras dos demais saldos bancários, mas, separadamente, como item do passivo circulante. A critério da empresa, o saldo poderá ser transferido para conta de empréstimos bancários.

A exceção é no caso em que tais saldos, devedor e credor, estejam em contas mantidas no mesmo banco e que a empresa tenha o direito de compensá-los.

ESCRITURAÇÃO

Da transferência de saldo credor de conta bancária para conta do passivo:

D

Bancos conta Movimento

$

Saldo transferido para conta de empréstimo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577260669

30. A Wm. Wrigley Jr. Company: estrutura de capital, avaliação e custo de capital

Bruner, Robert F. Grupo A PDF

CasO

30

A Wm. Wrigley Jr. Company: estrutura de capital, avaliação e custo de capital

As taxas de juros estão no ponto mais baixo dos últimos 50 anos. Ainda que o uso de financiamento da dívida pelas corporações esteja caindo – isso se dá numa recessão. E algum grau de desalavancagem se deve a mudanças estratégicas no setor, tais como inovação tecnológica e outros desenvolvimentos que aumentam o risco do negócio.

Mas a desalavancagem corporativa parece ter ido longe demais. Os CEOs estão perdendo oportunidades valiosas para criar valor para os acionistas. Em casos extremos, há empresas maduras que não usam empréstimo nenhum!

Pegue a Wm. Wrigley Jr. Company, por exemplo. Ela possui liderança de mercado em um negócio de baixa tecnologia – manufatura de goma de mascar – e não possui dívida. Aposto que se pudéssemos convencer o conselho da Wrigley a realizar uma recapitalização alavancada por meio de dividendos ou recompra de ações, poderíamos criar significativamente novo valor. Susan, por favor, calcule alguns números sobre a mudança potencial em valor e obtenha os nomes e números telefônicos de todos os diretores da Wrigley.

Ver todos os capítulos
Medium 9788580556100

Capítulo 20 - Entendendo as opções

Richard A. Brealey; Stewart C. Myers; Franklin Allen Grupo A PDF

CAPÍTULO

PARTE VI  Opções

20

Entendendo as opções

T

este rápido: o que os acontecimentos a seguir têm em comum?

• A torrefação de café Keurig Green Mountain compra opções que determinam um limite superior ao preço que pagará para as suas compras futuras de grãos.

• A Flatiron oferece um bônus à sua presidente se o preço das ações da empresa ultrapassar $120.

• A Blitzen Computer aventura-se a entrar em um novo mercado.

• A Malted Herring adia o investimento em uma fábrica com VPL positivo.

• A Hewlett-Packard exporta impressoras parcialmente montadas, embora fosse maisrato exportar o produto acabado.

• A Dominion instala uma unidade de ativação flex em sua central de energia elétrica de Possum Point que pode usar tanto óleo combustível como gás natural.

• Em 2004 a Air France adquire a companhia aérea holandesa, KLM, em uma troca por um pacote de ações e warrants próprias. Estas últimas conferem o direito aos acionistas da KLM de adquirir ações adicionais da Air

Ver todos os capítulos
Medium 9788522484645

6 Gestão do Valor no Capital de Giro

MATIAS, Alberto Borges (Coord.) Grupo Gen PDF

6

Gestão do Valor no Capital de Giro

Objetivos do capítulo

• Definir o objetivo da gestão do capital de giro.

• Integrar a gestão dos elementos do capital de giro.

• Apresentar um modelo de gestão integrada, baseado no conceito de geração de valor, para a administração do capital de giro.

• Discutir a geração de valor na tesouraria.

• Discutir a geração de valor no giro.

• Apresentar os impactos inflacionários na gestão do capital de giro.

6.1 Introdução

Os capítulos anteriores apresentaram, de forma isolada, a gestão de todos os componentes do capital de giro. Foram descritos os aspectos mais relevantes na gestão financeira dos valores a receber e a pagar, dos estoques e da logística, da captação de curto prazo e da tesouraria. No entanto, é necessário que o gestor financeiro cuide de todos esses elementos de forma integrada, em um ambiente competitivo e dinâmico.

6.2 Objetivo da gestão do capital de giro

Nas Finanças Modernas, a principal função dos gestores é maximizar a riqueza dos proprietários pela

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos