164 capítulos
  Título Autor Editora Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta
Medium 9788577806348

13. TÉCNICAS DE EDIÇÃO AVANÇADAS

Adobe Creative Team Grupo A PDF

336 ADOBE AFTER EFFECTS CS4

Classroom in a Book

Introdução

Esta lição inclui múltiplos projetos. Dê uma olhada em todos eles antes de começar.

1 Certifique-se de que os seguintes arquivos estão na pasta AECS4_CIB/

Lessons/Lesson13 no disco rígido ou copie-os agora do DVD Adobe After

Effects CS4 Classroom in a Book.

· Na pasta Assets: flowers.mov, Group_Approach [DV].mov, majorspoilers.

● Nota: Você pode visualizar todos esses filmes de uma só vez ou, se não planeja completar esses exercícios em uma sessão, assista a cada filme de exemplo um pouco antes de completar o exercício associado.

mov, metronome.mov, mocha_tracking.mov, multipoint_tracking.mov

· Na pasta Sample_Movies: Lesson13_Multipoint.mov, Lesson_13_

Particles.mov, Lesson13_Stabilize.mov, Lesson13_Timewarp.mov, Lesson13_ Tracking.mov

2 Abra e reproduza os vídeos exemplo na pasta Lesson13/Sample_Movies para ver os projetos que serão criados nesta lição.

3 Ao concluir, feche o QuickTime Player. Exclua esses vídeos de exemplo do disco rígido se houver pouco espaço de armazenamento.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536321318

Capítulo 9 - TRANSTORNOS FACTÍCIOS E SIMULAÇÃO

Landeira-Fernandez, J. Grupo A PDF

TRANSTORNOS FACTÍCIOS E SIMULAcãO

160

~

(p. ex., cortando-se com uma lâmina). A síndrome de Münchhausen diferencia-se da hipocondria

(e de outros transtornos somatoformes; ver Capítulo 7) pelo fato de que o paciente com um transtorno factício sabe que está mentindo, enquanto o hipocondríaco realmente acredita estar doente.

Em uma forma especial de síndrome de Münchhausen, denominada Münchhausen por procuração, o indivíduo produz sinais clínicos em outra pessoa, a qual está sob seus cuidados, podendo acontecer em mães ou outras pessoas responsáveis por uma criança. A síndrome caracteriza-se pela invenção ou produção intencional de alterações clínicas na criança, fazendo com que ela seja considerada doente. Mais uma vez, esse comportamento tem como única motivação a obtenção de atenção médica. A síndrome de Münchhausen por procuração é uma forma de abuso infantil e, com frequência, envolve a ocorrência de outras formas de abuso, na ausência de qualquer violência explícita. Paradoxalmente, a pessoa responsável demonstra uma grande preocupação com a saúde da criança, que, com o passar do tempo, pode participar desse processo patológico e, até mesmo, sofrer, ela própria, da síndrome de

Ver todos os capítulos
Medium 9788577806188

4. GERENCIANDO CONFIGURAÇÕES, PREFERÊNCIAS E CONTEÚDO

Adobe Creative Team Grupo A PDF

74 ADOBE PREMIERE PRO CS4

Classroom in a Book

Introdução

Na maioria dos seus projetos do Adobe Premiere Pro CS4, nenhum esforço será necessário para alterar as configurações e preferências de projeto, embora seja interessante conhecer as opções disponíveis. Você vai aprender a gerenciar seus conteúdos no painel Project e aprofundar-se no Adobe Bridge CS4 – um navegador de conteúdos completo que trabalha com todos os produtos e tipos de arquivo do Adobe Creative Suite 4 Production Premium.

Selecione configurações de projeto por sequência

A regra ao selecionar configurações de projeto e sequência é corresponder as configurações ao material original e não à saída final. Manter a qualidade original do material faz com que, posteriormente, você tenha mais opções. Mesmo que seu objetivo seja criar um vídeo de baixa resolução para reproduzir na Internet, espere até terminar de editar e, então, reduza as configurações da qualidade de saída para deixar o vídeo pronto para a Internet.

Talvez você tenha uma mistura de fontes de mídia – widescreen, padrão, HDV e P2, por exemplo – entre seus conteúdos de projeto. Com o Adobe Premiere

Ver todos os capítulos
Medium 9788582601570

Capítulo 9 - Como interpretar tabelas

Kubba, Sam A. A. Grupo A PDF

Introdução

Uma tabela aplicada para os desenhos executivos de construção é um método organizado de apresentar notas genéricas ou listas de materiais, componentes da construção (portas, janelas, etc.) e equipamentos de um desenho em formato tabulado. O principal propósito da inclusão de tabelas em um jogo de plantas de construção é proporcionar clareza, localização, dimensionamento, materiais e informações sobre a designação de portas, janelas acabamentos de cobertura, equipamentos, instalações hidrossanitárias e componentes elétricos. Feitas adequadamente, as tabelas podem evitar que os projetos se tornem poluídos com o excesso de informações ou notas impressas e elas têm se mostrado um recurso que poupa tempo para quem está preparando o desenho como também para o arquiteto, engenheiro, construtor e operários na obra. Este capítulo destina-se a auxiliar o leitor na interpretação de informações tabuladas nos desenhos técnicos. Deve ficar claro que tabelas e especificações dão detalhes específicos sobre itens reais, enquanto os desenhos geralmente mostram o tamanho e a localização do item.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577805617

2. TRABALHANDO COM ELEMENTOS GRÁFICOS

Adobe Creative Team Grupo A PDF

50 ADOBE FLASH CS4

Classroom in a Book

Introdução

Comece abrindo o filme pronto para ver a animação que você vai criar nesta lição.

1 Dê um clique duplo no arquivo 02End.swf na pasta Lesson02/02End para visualizar o projeto final.

O projeto é uma ilustração estática simples de um anúncio de banner. Essa ilustração é para a Aqua Zero, uma empresa fictícia. Nesta lição, você vai desenhar as formas, modificá-las e aprender a combinar elementos simples para criar visuais mais complexos. Você não vai criar nenhuma animação ainda – afinal de contas, você precisa primeiro aprender a andar para depois poder correr! Aprender a criar e modificar elementos gráficos é um passo importante antes de produzir uma animação Flash.

2 Escolha File > New. Na caixa de diálogo New Document, escolha Flash File

(ActionScript 3.0).

3 No inspetor de propriedades, ajuste o tamanho do Stage para 700 pixels x

150 pixels e escolha a cor azul claro para o fundo.

4 Escolha File > Save. Dê o nome 02_workingcopy.fla ao arquivo e salve-o na pasta 02Start. Salvar seu arquivo imediatamente é um bom hábito de trabalho e garante que seu trabalho não será perdido se o aplicativo ou computador travar.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577808120

Fase 1 - Condução da pesquisa

Wheeler, Alina Grupo A PDF

1 : condução da pesquisa

Fase 1

Auditoria de marketing

Para o reposicionamento de uma organização, a revitalização e o redesign de um sistema de identidade ou o desenvolvimento de uma nova identidade para empresas em processo de fusão, é necessário estudar as comunicações e os instrumentos de marketing utilizados no passado. A identificação do que funcionou bem e teve sucesso, ou mesmo do que não funcionou, proporciona lições valiosas na criação de uma nova identidade. As fusões de empresas apresentam as situações de auditorias mais desafiadoras possíveis, pois duas empresas que antes eram concorrentes estão agora em sintonia.

As auditorias de marketing são usadas para estudar e analisar metodicamente todos os sistemas de marketing, comunicação e identi-

dade, tanto os existentes quanto os que estão fora de circulação. O processo examina minuciosamente a marca e suas múltiplas expressões ao longo do tempo. Para desenvolver uma visão do futuro da marca de uma organização, é necessário ter ideia da sua história.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536321318

Capítulo 3 - TRANSTORNOS MENTAIS RELACIONADOS A SUBSTÂNCIAS

Landeira-Fernandez, J. Grupo A PDF

capítulo 3

TRANSTORNOS

MENTAIS

RELACIONADOS

A SUBSTÂNCIAS

Substâncias psicoativas, também denominadas psicotrópicos, são substâncias naturais ou sintéticas que, quando consumidas, produzem alterações na atividade mental. Através dos tempos, diferentes culturas descobriram e criaram uma grande variedade dessas substâncias, muitas das quais podem levar a processos de dependência.

Frequentemente é utilizada em nosso meio a expressão droga-adicção para designar a dependência química. Todavia, a palavra adicção não existe em português, tratando-se de um anglicismo originado da palavra addiction, que, por sua vez, deriva do termo em latim addictu, que significa “escravo por dívidas” e era utilizado para expressar o fato de um homem, por não dispor de recursos, aceitar ser escravo para saldar dívidas contraídas.

A característica comum das substâncias psicoativas com potencial para causar dependência é a capacidade de aliviar sensações desagradáveis, como ansiedade ou dor, ou de produzir sensações de prazer e bem-estar. Substâncias que aliviam sensações desagradáveis atuam, em geral, inibindo circuitos neurais aversivos, enquanto aquelas que produzem sensações de prazer ativam sistemas de recompensa do cérebro (Cruz; Landeira-Fernandez, 2004).

Ver todos os capítulos
Medium 9788577805594

4. TRABALHANDO COM IMAGENS

Adobe Creative Team Grupo A PDF

102 ADOBE DREAMWEAVER CS4

Classroom in a Book

Visualize o arquivo final

Para ter uma ideia do arquivo que será utilizado nesta lição, vamos visualizar a página concluída no navegador.

1 Abra o Adobe Dreamweaver CS4.

2 Se necessário, pressione F8 para abrir o painel Files e escolha DW CIB na lista de sites.

3 No painel Files, expanda a pasta lesson04.

4 Selecione o arquivo naxos-finished.html e pressione F12 (Windows) ou

Option+F12 (Mac) para visualizar a página em seu navegador principal.

A página inclui várias imagens, tanto de primeiro plano como de fundo e também uma imagem Photoshop Smart Object.

5 Feche seu navegador e retorne ao Dreamweaver.

Insira uma imagem

Imagens são componentes cruciais de qualquer página Web. O painel Insert tem alguns botões que tornam a inserção de uma imagem rápida e fácil. Você também pode adicionar alocadores de espaço de imagem ou substituir alocadores de espaço de imagem por imagens, como no primeiro exercício.

1 No painel Files, expanda a pasta lesson04 e dê um clique duplo no arquivo naxos-start.html para abrir o arquivo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577801145

7. Elaborando Layouts de Página

Adobe Creative Team Grupo A PDF

7 Elaborando Layouts de Página

Nesta lição, você aprenderá a criar e a trabalhar com layouts de página baseados em CSS com o seguinte:

• Definir as regras de CSS para áreas de layout

• Aplicar as regras de CSS a tags

• Adicionar texto e placeholders à página

• Exportar as regras de CSS para uma folha de estilo externa

• Utilizar réguas e guias para fazer o ajuste fino de um layout

Esta lição levará aproximadamente 120 minutos para ser concluída. Certifique-se de que você copiou Lessons/Lesson07 do CD do Adobe Dreamweaver CS3, Classroom in a Book para sua unidade de disco antes de começar. Ao trabalhar nesta lição, você sobrescreverá os arquivos iniciais. Se for necessário restaurar os arquivos iniciais, copie-os novamente do CD.

Visualize seu arquivo final

Para ter uma idéia do arquivo em que você trabalhará na primeira parte desta lição, vamos visualizar a página final no navegador.

1 Inicie o Adobe Dreamweaver CS3.

2 Se necessário, pressione F8 para abrir o painel Files e escolha DW CIB

na lista de sites.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577807826

2. A HISTÓRIA DO DESIGN: RETRATOS DE EMPREENDEDORES

Mozota, Brigitte Borja de Grupo A PDF

CAPÍTULO 2

A HISTÓRIA DO DESIGN: RETRATOS DE

EMPREENDEDORES

A história do design revela a diversidade nas formas criadas pelos designers e a variedade de suas opiniões sobre o papel do artefato em nossa sociedade. Explorar as diferentes fases da história do design ajuda-nos a compreender os valores básicos dessa nova disciplina, valores que uma empresa pode desejar integrar em seu sistema de gestão. Este capítulo descreve os diferentes períodos da história do design e discute como a história pode ser útil para a compreensão dos elos entre design e sociedade como um todo.

MARCOS FUNDAMENTAIS NA HISTÓRIA DO DESIGN

Precursores (1850-1907)

A pré-história do design começa na Inglaterra, com o conceito de padronização da produção, que dissociou a concepção de um objeto da sua fabricação. Até aquela

época, essas duas operações estavam incorporadas na habilidade de uma pessoa: o artífice.

Exemplos: A cerâmica Wedgwood em meados do século XVIII, a cadeira Thonet Bistrot, de 1830, e o

Palácio de Cristal, em Londres, em

Ver todos os capítulos
Medium 9788577801480

3. Criando Formas

Adobe Creative Team Grupo A PDF

94 ADOBE ILLUSTRATOR CS3

Classroom in a Book

Crie formas básicas

Você começará esse exercício criando um novo documento e configurando as unidades da régua para polegadas, exibindo uma grade para utilizar como uma diretriz para os desenhos e fechando os painéis que você não utilizará.

1 Escolha File > New para abrir um novo documento sem título. Escolha Print no menu

New Document Profile e altere as unidades para polegadas. Deixe o restante das configurações como estão, e clique em OK.

2 Escolha File > Save As. Na caixa de diálogo Save As, atribua ao arquivo o nome Pencil.ai

e escolha a pasta Lesson03. Deixe o formato de arquivo configurado como Illustrator (*.AI) e clique em Save. Em Illustrator Options, deixe as configurações padrão inalteradas e clique em OK.

3 Restaure o espaço de trabalho escolhendo Window > Workspace > [Basic].

4 Escolha View > Show Grid para exibir uma grade que seja útil para medir, desenhar e ali-

nhar formas. Essa grade não será impressa com a arte-final.

5 Escolha View > Show Rulers ou mantenha pressionadas as teclas Ctrl+R (Windows) ou

Ver todos os capítulos
Medium 9788577806188

16. TÉCNICAS DE COMPOSIÇÃO

Adobe Creative Team Grupo A PDF

304 ADOBE PREMIERE PRO CS4

Classroom in a Book

Introdução

O Adobe Premiere Pro e outros editores não lineares que utilizam múltiplas trilhas e linhas do tempo têm uma prática operacional geral: clipes nas trilhas de vídeo acima de Video 1 cobrem os clipes nas trilhas abaixo deles. Em outras palavras, qualquer coisa que aparece na trilha cobre tudo o que estiver abaixo dela.

Mas o objetivo não é utilizar clipes nas trilhas acima de Video 1 para eliminar o que está abaixo delas, mas sim, empregar a composição para melhorar o que está ali. O Adobe Premiere Pro oferece muitas maneiras de colocar em camadas vídeos, gráficos e imagens para criar excelentes efeitos.

As técnicas de composição nos clipes permitem que os clipes abaixo deles na

Timeline possam ser exibidos. Os cinco métodos básicos de composição são:

· Reduzir a opacidade de um clipe inteiro.

· Combinar camadas com base em um modo de mesclagem

· Utilizar transparências de canal alfa em clipes e efeitos

· Criar um chroma key verde

· Utilizar efeitos de matte de chroma key

Ver todos os capítulos
Medium 9788522447237

28 - Combinando várias artes no ensino de comportamento organizacional

Davel, Eduardo Editora Atlas S.A. PDF

28

Combinando várias artes no ensino de comportamento organizacional

Miguel Pina e Cunha

Este capítulo depoimento apresenta o modo de utilização de recursos artístico-culturais na disciplina Comportamento Organizacional oferecida no âmbito de um programa de licenciatura em gestão. A disciplina divide-se em aulas teóricas e práticas. As aulas teóricas desenvolvem os temas principais do comportamento organizacional e seguem os Capítulos 1 a 12 de um livro-texto.�

As aulas práticas recorrem a três suportes: (a) análise de casos retirados de um livro de casos de apoio ao manual;� (b) análise daquilo que foi chamado “casos da vida” (situações encontradas na mídia pelos estudantes); e (c) artes. Neste

último caso, os estudantes são convidados a procurar no mundo das artes ilustrações de conceitos ligados a comportamento organizacional. Uma lista dos temas discutidos num semestre é apresentada no Quadro 28.1.

Sobre a disciplina

A disciplina Comportamento Organizacional é oferecida no âmbito de uma licenciatura em gestão. A licenciatura é generalista, cobrindo as áreas funcionais mais importantes – comportamento organizacional, estratégia, finanças, marketing e operações. A disciplina Comportamento Organizacional constitui prece  CUNHA, M. P.; REGO, A.; CUNHA, R. C.; CABRAL-CARDOSO, C. Manual de comportamento or­ ganizacional e gestão. Lisboa: RH Editora, 2003.

Ver todos os capítulos
Medium 9788536321318

Capítulo 5 - TRANSTORNOS DO HUMOR

Landeira-Fernandez, J. Grupo A PDF

capítulo 5

TRANSTORNOS

DO HUMOR

Afetividade e humor são conceitos estreitamente relacionados. Os afetos consistem em estados psíquicos subjetivos que se caracterizam pela propriedade de serem agradáveis ou desagradáveis. O humor, por sua vez, representa um somatório de todos os afetos presentes na consciência em um dado momento, constituindo o estado afetivo basal.

Caracteriza-se por ser difuso e persistente e não relacionado a um objeto específico. O humor imprime ao indivíduo um importante componente motivacional e é capaz de influenciar, praticamente, todas as outras funções mentais, assim como o seu comportamento.

Tradicionalmente, pode-se descrever o humor de acordo com duas dimensões: intensidade e valência. Como ilustrado na Figura 5.1, a intensidade ou ativação do humor pode variar entre um polo de alta e outro de baixa intensidade. A valência, por sua vez, pode ser subdividida em positiva, quando o estado afetivo é agradável para o próprio indivíduo (p. ex., alegria), ou negativa, quando se apresenta desagradável (p. ex., tristeza, raiva e ansiedade). O termo euforia refere-se a um humor positivo de grande intensidade, enquanto o termo disforia está relacionado a uma valência negativa de humor.

Ver todos os capítulos
Medium 9788577808540

10 PUBLICANDO DOCUMENTOS FLASH

Adobe Creative Team Grupo A PDF

362 ADOBE FLASH CS5

Classroom in a Book

Introdução

Nesta lição, você vai publicar uma animação que já está completa. O projeto é banner animado para a cidade fictícia de Meridien, para a qual você já criou um guia interativo de restaurantes na Lição 6 e um site para a corretora de imóveis na Lição 7. Você vai publicar o filme na Web, capturar frames específicos como imagens e salvar o filme para que mesmo os usuários que não têm o Flash Player possam vê-lo.

1 Dê um clique duplo no arquivo 10End.html na pasta Lesson10/10End para abrir o projeto pronto.

Um navegador Web carrega e reproduz o arquivo HTML, exibindo o arquivo

SWF. O arquivo HTML informa ao navegador como exibir o arquivo SWF.

Feche o navegador Web.

2 Dê um clique duplo no arquivo 10Start.fla, na pasta Lesson10/10Start, para abri-lo no Flash.

O projeto exibe um vídeo, imagens e interpolações de movimento, e todos os recursos são combinados no arquivo FLA.

3 Escolha File > Save As. Nomeie o arquivo 10_workingcopy.fla e salve-o na pasta 10Start. Salvar uma cópia de trabalho garante que o arquivo original inicial esteja disponível caso queira começar novamente.

Ver todos os capítulos

Carregar mais