31185 capítulos
Medium 9788597011432

32 - Convocação

MAMEDE, Gladston; MAMEDE, Eduarda Cotta Grupo Gen PDF

32

Convocação

Cláusula padrão

As reuniões [ou assembleias] de sócios serão convocadas pelo(s) administrador(es) societário(s), quando julgarem necessário[1] [2] ou atendendo

à solicitação de qualquer sócio. [3][4][5]

[1] Desejando-se a realização obrigatória da reunião ordinária, prevista no artigo 1.078 do Código Civil (veja, abaixo, assembleia ou reunião ordinária), pode-se acrescentar: ... administradores societários, quando julgarem necessário, nas hipóteses legais e atendendo ... .

[2] Se o contrato social prevê alguma hipótese específica de convocação obrigatória, deverá ser acrescentado: ... administradores societários, quando julgarem necessário, nas hipóteses legais, nos casos previstos neste contrato social e atendendo ... .

[3] Haverá maior governança corporativa se a cláusula previr que a reunião

(ou assembleia) podem ser convocadas por qualquer sócio, ...

[4] Como dito, a permissão para que qualquer sócio solicite a convocação da reunião de sócios é medida de boa governança corporativa, facilitando o exercício das faculdades societárias. O Código Civil, contudo, previu regra mais rígida (artigo 1.073), que mais aos interesses do controlador e/ou administrador societário.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527731836

31 - Sarcopenia | Do Diagnóstico ao Tratamento

FREITAS, Elizabete Viana de; MOHALLEM, Kalil Lays; GAMARSKI, Roberto; PEREIRA, Silvia Regina Mendes (eds.) Grupo Gen PDF

31

Sarcopenia | Do Diagnóstico ao Tratamento

Roberto Alves Lourenço | Roberto Gamarski |

Virgílio Garcia Moreira

Introdução

A perda de massa muscular durante o processo de envelhecimento é clinicamente importante e reduz a força e a capacidade de exercício, ambas necessárias à realização das atividades de vida diária.1

Estudos longitudinais sugerem que a perda de massa muscular é um preditor robusto do declínio funcional que pode ocorrer com o envelhecimento, e também é um atributo importante para a manutenção da mobilidade e eficiência do movimento. 2

O decréscimo na força muscular ocorre antes da redução na massa muscular e, em idosos, 10 dias de repouso no leito podem causar perda de pelo menos 1,5 kg de massa magra, principalmente em membros inferiores. Além disso, a imobilização induz à redução na síntese proteica, independente da administração de aminoácidos. Essa baixa atividade pode ocasionar disfunção mitocondrial, que pode ser atenuada pela atividade física.1,3

Ver todos os capítulos
Medium 9788522489985

7 Taxa Social de Desconto

CONTADOR, Claudio Roberto Grupo Gen PDF

7

TAXA SOCIAL DE DESCONTO

1

CONSUMO PRESENTE VERSUS CONSUMO FUTURO

A canalização das poupanças para investimentos em máquinas, tecnologia e capital humano tem por objetivo permitir um maior fluxo futuro de consumo e distribuir o consumo ao longo de tempo. Sacrifica-se o consumo presente (e o bem-estar da geração atual) para obter um maior consumo futuro (e beneficiar as próximas gerações). Os projetos, em sua quase totalidade, exigem um período de implantação em que são feitas inversões e imobilizados os fatores de produção para, posteriormente, com a operação, resultar um fluxo de excedentes líquidos de benefícios sobre os custos.

Quando se discute o custo de oportunidade do capital, o que se tem em mente é exatamente a dimensão intertemporal do consumo. No caso, o conceito de custo do capital – ou, mais aproximadamente, o custo do investimento – representa todos aqueles fatores e insumos que poderiam ter sido empregados na produção de bens e serviços e, no entanto, foram utilizados no projeto. Mas as inversões num projeto não compreendem apenas os equipamentos e máquinas considerados como capital. As inversões abrangem também os terrenos, a mão de obra, todos os insumos necessários e até mesmo o capital de giro. Na avaliação social, cada um desses itens pode ter um preço diferente do seu preço de mercado. Para esse propósito, vimos nos capítulos anteriores que o preço social de insumos e o salário social diferem dos preços de mercado. Finalmente, o capital de giro, por representar uma mera imobilização financeira, sem contrapartida na utilização de fatores e insumos, tem o custo social nulo. Portanto, é sempre necessário aplicar preços sociais a cada elemento do custo de implantação do projeto.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597017496

15 - As situações legais de inelegibilidade

GONÇALVES, Luiz Carlos dos Santos Grupo Gen PDF

Capítulo 15

AS SITUAÇÕES LEGAIS DE INELEGIBILIDADE

Procede-se, a partir de agora, ao exame das situações que, nos termos da Lei Complementar 64, de 1990, com a redação da Lei da Ficha Limpa, promoverão inelegibilidade.

15.1 OS INALISTÁVEIS E OS ANALFABETOS

Lei Complementar 64/90

Art. 1º São inelegíveis:

I – para qualquer cargo: a) os inalistáveis e os analfabetos;

Esta primeira situação, de inelegibilidade absoluta, já foi versada em trecho anterior deste estudo, porque simplesmente repete o texto do art. 14, § 4º, da Constituição.

15.2 A PERDA DO MANDATO PARLAMENTAR

Art. 1º São inelegíveis:

I – para qualquer cargo: b) os membros do Congresso Nacional, das Assembleias Legislativas, da Câmara Legislativa e das

Câmaras Municipais que hajam perdido os respectivos mandatos por infringência do disposto nos incisos I e II do art. 55 da Constituição Federal, dos dispositivos equivalentes sobre perda de mandato das Constituições Estaduais e Leis Orgânicas dos Municípios e do Distrito Federal, para as eleições que se realizarem durante o período remanescente do mandato para o qual foram eleitos e nos oito anos subsequentes ao término da legislatura.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527726184

Capítulo 70 - Doenças Fúngicas em Aves

CUBAS, Zalmir Silvino; SILVA, Jean Carlos Ramos; CATÃO-DIAS, José Luiz Grupo Gen PDF

Capítulo 70

Doenças Fúngicas em Aves

Melissa Orzechowski Xavier

Isabel Martins Madrid

CC

Introdução

Os mi­cror­ga­nis­mos fúngicos têm especial relevância na sanidade das aves, sendo responsáveis por doen­ças potencialmente debilitantes e fatais em uma grande variedade de espécies. Ao contrário do que ocorre na medicina humana, na qual as micoses adquiriram grande importância somente nas últimas décadas devido ao aumento de pacientes imunossuprimidos, na clínica de aves, estas doen­ças são descritas causando grandes surtos e prejuí­zos ecológicos à fauna há centenas de anos. Embora existam relatos na literatura científica de outras enfermidades fúngicas em aves, como candidía­se, zigomicose e criptococose, a aspergilose destaca-se como a micose de maior incidência e de prognóstico desfavorável. Assim, este capítulo abordará aspectos microbiológicos, clínicos, terapêuticos e profiláticos das doen­ças fúngicas em aves, com enfoque na aspergilose.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos